segunda-feira, 19 de junho de 2017

Acostumado a fazer história ASPROLF lota salão no forró do #ForaTemer



Fruto da luta contra o governo ilegítimo de Michel Temer, o tema da festa é o retrato fiel das ações do ASPROLF nas mobilizações na luta pelos direitos dos trabalhadores

Com o tema #ForaTemer, a 8ª edição do tradicional Forró do ASPROLF, que aconteceu na noite desta quarta-feira (14), lotou o salão principal da AFPEB. Centenas de trabalhadores da educação participaram da festa que este ano trouxe como novidade, animação especial para as crianças com brincadeiras, piscina de bolas e pula pula.
A festa foi aberta pelo Coordenador Geral do ASPROLF, Valdir Silva, que deu as boas vindas aos convidados e parabenizou a classe trabalhadora pelo engajamento nas lutas da categoria, sobretudo no que diz respeito ao tema do forró.
O #ForaTemer no ritmo junino começou com o forró pé de serra do Trio Nordestino, seguido de Gabriela que deixou o salão concorrido, e já entrando pela madrugada com Gil, que trouxe a diversidade musical e também não deixou ninguém ficar parado.
O tema do forró deste ano é o grito de protesto dos trabalhadores em todo o País contra o governo ilegítimo de Michel Temer e suas propostas nefastas que atacam de morte a dignidade das classes trabalhadoras. As reformas trabalhista, da Previdência e a Terceirização, do ´temeroso,’ tem como principal objetivo precarizar a mão de obra e desvalorizar o trabalhador, para beneficiar empresários.
O Forró #ForaTemer é o retrato fiel das ações do ASPROLF nas mobilizações pela não retirada dos direitos dos trabalhadores, que acostumado a fazer história, no mês passado (24/05), levou uma caravana com dois ônibus para o #OcupaBrasilia, ato nacional que contou com a participação de diversas entidades sindicais de todo o Brasil que foram às ruas da capital federal gritar Fora Temer, e fizer não às as reformas trabalhista, da previdência e terceirização, e sim às Diretas Já!

Cada vez maior e melhor, o Forró do ASPROLF entrou para o calendário festivo pela organização e qualidade. A luta contra os desmandos do governo carente de legitimidade de Michel Temer continua e novas ações de mobilização já estão agendadas para o próximo dia 30.

quarta-feira, 14 de junho de 2017

Trabalhadores da educação ocuparam prefeitura e fazem bolo para protestar calote da Prefeitura contra a categoria


A pressão da categoria fez com que a prefeita marcasse uma reunião com a Comissão de Processos para a próxima segunda-feira. Vitoriosos, os trabalhadores cantaram ‘parabéns pra você,’ e informaram que caso não haja avanço na próxima reunião, voltarão a ocupar definitivamente o gabinete da prefeita
Com bolo de aniversário os trabalhadores em educação de Lauro de Freitas (Região Metropolitana de Salvador), fizeram na manhã de hoje (13), um ato dentro da Prefeitura, em protesto contra o calote que a gestão municipal tem aplicado nos profissionais, com o não pagamento de processos administrativos (rescisões contratuais, processos retroativos, mudanças de nível ).

São valores não pagos desde o final da gestão da prefeita Moema Gramacho (2012), há 5 anos, e seguem sem sinal de avanço. Por isso a categoria resolveu parar para pressionar a prefeita a pagar os débitos. 


O Coordenador Geral do ASPROLF – Sindicato da categoria, Valdir Silva, explicou que quando o trabalhador dá entrada no processo de mudança de nível, por exemplo, ele tem direito a receber os valores dessa mudança desde a data em que deu entrada; porém é uma cultura do governo não liberar o processo. “A lei diz que são 60 dias, mas o governo leva de 1 a dois anos para fazê-lo, e quando faz. Nossa manifestação é contra esse calote, completou.”
Na mobilização, tratada pelos educadores como ‘ANIVERSÁRIO DO CALOTE,’ teve bolo de aniversário e debate sobre o não pagamento desses processos, que apesar da constituição de uma Comissão de Análise dos mesmos, a classe entende que “há um desinteresse do governo na liberação desses processos, por isso tanto atraso,” informou um servidor.
Segundo Valdir Silva, Coordenador Geral do ASPROLF – Sindicato dos Trabalhadores Municipais da Educação de Lauro de Freitas “há anos os servidores da educação são penalizados pela falta de compromisso da gestão municipal, que mesmo com os processos deferidos, não cumpre com a obrigação de pagar os valores devidos demonstrando que não tem compromisso algum com a valorização do trabalhador e muito menos com a educação pública do município”.



Avisada do ato pelo chefe de gabinete Leto Lopes, a prefeita Moema (que não estava presente), ligou para Valdir Silva e disse estar surpresa de que com apenas 6 meses de governo já esteja ‘recebendo bolo do calote.’ Moema então agendou uma nova reunião com o ASPROLF e Comissão de Análise de Processos para a próxima segunda-feira às 11h. Vitoriosos, os trabalhadores cantaram ‘parabéns pra você,’ e informaram que caso não haja avanço na próxima reunião, voltarão a ocupar definitivamente o gabinete da prefeita.
Dentro do gabinete, o Coordenador Valdir Silva, entregou à Leto Lopes, a fatia do bolo para a prefeita Moema, símbolo do ato contra o calote dos processos.

quarta-feira, 7 de junho de 2017




WhatsApp da imprensa do ASPROLF 992315849, mande uma mensagem com a palavra inscrição e você recebera todas os avisos da imprensa do ASPROLF (dia e hora das assembleias e eventos do seu sindicato, de forma personalizada.

Foi aprovado o reajuste



No dia 06/06, na Câmara Municipal de Lauro de Freitas, foi aprovado o reajuste acordado com o poder executivo.
Como a tabela salarial não foi anexada, como era costumeiro, ficou de haver um encontro do poder executivo e trabalhadores para elaboração da referida tabela.



Ficou claro que hoje foi um dia vitorioso para a classe trabalhadora de Lauro de Freitas, mas sabemos outras vitórias virão com a nossa permanente luta.