sábado, 25 de março de 2017

ASPROLF pressiona e prefeitura marca primeira reunião de negociação da Pauta Reivindicatória da categoria




Na pressão, trabalhadores conseguem abrir agenda de negociação com a prefeita Moema Gramacho. “É a luta que faz a lei!”


Dando continuidade às mobilizações da Greve Nacional Contra a Reforma da Previdência, os trabalhadores da educação municipal de Lauro de Freitas, realizaram na manhã de hoje (24), uma assembleia geral extraordinária em frente à Prefeitura da cidade, para avaliação do movimento grevista que completa dez dias amanhã (25), quando também haverá em Brasília, uma reunião do CNE - Conselho Nacional de Entidades (CNTE), que fará o balanço das manifestações no País.
No ato, o Coordenador Geral do ASPROLF – Sindicato dos Trabalhadores em Educação, Valdir Silva, fez um levantamento dos dias de ato público nos bairros (Itinga, Portão, Vida Nova, Areia Branca e no Centro), que contemplou panfletagem e aulão sobre os perigos que a PEC 287 representam para o trabalhador, sempre com participação da comunidade que recebia as cartas esclarecimento e convite e tiraram dúvidas sobre o assunto; e disse que foram dias de atividades intensas e com resultado positivo. Embora estratégica pro governo - graças às mobilizações que ocorreram nesses período - o presidente Michel Temer recuou e retirou dessa proposta nefasta, os servidores estaduais e municipais. Uma vitória dos trabalhadores que foram às ruas, porém, na quarta-feira (22), a Câmara Federal aprovou a PL 4302 das terceirizações; e a luta deve ser ainda maior e mais forte.




A categoria avaliou que no momento a greve deve ser suspensa, retornando às atividades já nesta segunda-feira (27), enquanto aguarda o balanço e deliberação do CNE que acontece amanhã.
Valdir também aproveitou o momento de hoje para cobrar da prefeita Moema Gramacho, resposta aos ofícios de pedido de agenda de reunião, não atendidos. Ele convocou os trabalhadores a ocuparem o gabinete da prefeitura, a fim de serem atendidos. Imediatamente, Leto Lopes, chefe de gabinete da prefeita, resolveu atender o Coordenador do ASPROLF juntamente com a Comissão Paritária, formada por trabalhadores da base.

Sr. Leto Lopes, chefe de gabinete da prefeita


Depois de muita solicitação e espera, na pressionado o Executivo resolveu enfim, abrir agenda e atender os trabalhadores em educação. “É a luta que faz a Lei,” comemorou Valdir, que em seguida finalizou a assembleia.







Lembrando mais uma vez que amanhã acontece o último ato da Greve Nacional Contra a Reforma da Previdência com uma reunião nacional no CNE em Brasília, onde será feita uma avaliação do movimento pelo país. Estarão no evento representando o ASPROLF, o coordenador geral, Valdir Silva, e o professor Rafael Henrique.


Daisy Macedo

sexta-feira, 24 de março de 2017

Audiência Pública dos trabalhadores da educação discute PEC 287 com os moradores de Lauro de Freitas


 
"A melhor forma de lutar contra a retirada dos nosso direitos, contra esses golpes que tramam a todo momento contra os trabalhadores, é fazendo o que o ASPROLF faz, indo pra rua, lutando o tempo todo", encorajou o palestrante


Os trabalhadores da rede municipal de ensino de Lauro de Fritas realizaram durante toda a manhã de hoje (23), na Câmara Municipal da cidade, uma Audiência Pública (parte da programação da Greve nacional Contra a Reforma da Previdência), para discutir com a população laurofreitense, as regras da Reforma da Previdência, proposta do governo Michel Temer, que tem como objetivo acabar com a aposentadoria do trabalhador.


Promovida pelo ASPROLF – Sindicato da categoria, o evento não contou com a presença da prefeita Moema Gramacho que foi convidada oficialmente pelo sindicato. Para debater o tema, o ASPROLF convidou o advogado trabalhista e professor Iuri Falcão, que destacou pontos importantes da proposta nefasta de Temer.
A abertura da audiência foi aberta pela presidente da Casa a vereadora Naide Brito, que elogiou a iniciativa do sindicato na realização do evento e da temática que para ela, precisa ser bem esclarecida. Logo depois da fala, Naide passou para a condução dos trabalhos para o Coordenador geral do ASPROLF, Valdir Silva, que começou chamando a atenção dos ouvintes, para a periculosidade do texto da PEC 287, e chamou a atenção aos abusos do governo federal contra a classe trabalhadora, que ontem (22), conseguiu aprovar a PL 4302, que permite que empresas terceirizem o trabalho, promovendo desta forma, o barateamento da mão de obra e a desvalorização do profissional. Sobre a PEC 287, o professor Falcão, tudo o que vimos até agora sobre ela, o que está na íntegra no texto é muito pior; “a gente não está diante da Reforma da Previdência, o que temos aí é a destruição da previdência social,” alertou. Resumindo, o objetivo é o fim da valorização do trabalho e do trabalhador.
E é verdade. Basta ver que de uma forma maldosa o Projeto Lei da terceirização, cria a possibilidade real da terceirização do Poder Público, e diante da precarização do serviço público, não haverá necessidade de realização de concurso público, fazendo dessa forma que o governo fique livre da responsabilidade pelo pagamento das verbas trabalhistas dos empregados contratados.
Outra situação de extremo perigo é que a partir dessa permissão de contratação de mão de obra terceirizada, governos vão aproveitar para boicotar movimentos grevistas, na tentativa de enfraquecê-los. Ainda na linha dos projetos e propostas feitos sob medida para atacar de morte o trabalhador, Iuri Falcão falou também sobre que a previdência social na verdade, apresenta um superávit, e não déficit, como tenta vender o governo. Ele destacou ainda que o recuo de Temer quanto a retirar servidores estaduais e municipais das regras da reforma, embora estratégico pro governo, é sim uma vitória dos trabalhadores que foram às ruas protestar e fazer pressão contra os desmandos da Direita e elogiou as mobilizações do ASPROLF na Greve Nacional: “a melhor forma de lutar contra a retirada dos nosso direitos, contra esses golpes que tramam a todo momento contra os trabalhadores, é fazendo o que o ASPROLF faz, indo pra rua, lutando o tempo todo,” finalizou.

Professor Iure Falcão 
A mobilização contra a PEC 287 continua amanhã (24), às 9h, na praça João Thiago dos Santos, em frente à Prefeitura, com a assembleia geral extraordinária que vai avaliar as ações da Greve Nacional Contra a Reforma da Previdência. Confira a programação dos próximos dias:

Daisy Macedo.
 
24/03 (sexta-feira):
09h – Assembleia geral extraordinária na praça João Thiago dos Santos, em frente à Prefeitura. Pauta: avaliação da greve nacional.
No dia 25/03 (sábado):
O coordenador geral, Valdir Silva, e o professor Rafael Henrique estarão em Brasília para avaliar a greve nacional na reunião do CNE.

quarta-feira, 22 de março de 2017

Trabalhadores da educação resistem e servidores estaduais e municipais ficam da Reforma da Previdência



Recuo de Temer é uma vitória contra a PEC 287. Mérito dos trabalhadores da educação pública de todo o País que pressionaram o governo com a Greve Nacional da categoria

Os trabalhadores da educação pública em todo País obtiveram ontem (21), uma significativa vitória na luta contra a PEC 287. Pressionado pelos trabalhadores da rede pública de ensino, pela Greve Nacional contra a Reforma da Previdência que vai até a próxima sexta-feira (24).

Mesmo após a vitória de ontem contra a Reforma da Previdência com o recuo do presidente Michel Temer, que excluiu servidores municipais e estaduais da nova regra, os trabalhadores municipais da educação de Lauro de Freitas, fizeram na manhã de hoje (22), mais uma mobilização da Greve Nacional contra a PEC 287 e a retirada dos direitos trabalhistas.

O ato desta quarta-feira que ocorreu nos bairros de Areia Branca e Capiarara foi uma oportunidade para os moradores do bairro se informarem mais sobre a Reforma da Previdência. Assim como em Itinga, Portão é Vida Nova, a comunidade de Areia Branca e Capiarara, contou com panfletagem e um aulão, que alertou sobre os riscos que essa proposta nefasta do Governo Federal representa para os trabalhadores das mais distintas classes. 

Na sala de aula à céu aberto, o Coordenador Geral do sindicato, professor Valdir Silva, explicou o que é a PEC 287, e os riscos que ela representa na vida do trabalhador, tanto os que estão em atividade, quanto os muito jovens, que ainda nem entraram no mercado de trabalho.

Chamada de ‘PEC da Morte,’ a proposta muda as regras de aposentadoria, tornando-as tão difíceis, que o trabalhador - para ter algum lucro merecido no final de seu tempo de serviço - será obrigado a contratar plano de previdência privado, desses quer os bancos já oferecem, mas isso se ele conseguir pagar.”

Valdir também trouxe à memória da comunidade, a reflexão sobre a PEC 55 (241), do limite dos gastos público, que determina um teto de investimento para os próximos 20 anos, na saúde, segurança pública e na educação, destacando que desde o início esse governo vem prejudicando de forma abusiva o trabalhador brasileiro. Por isso não podemos ficar parados e devemos continuar pressionando para que nenhum trabalhador seja afetado por essa medida maléfica de Temer.

A mobilização contra a PEC 287 continua amanhã (23), às 9h na Audiência na Câmara Municipal de Lauro de Freitas. Promovida pelo ASPROLF, na Audiência, comunidade e os trabalhadores em educação vão discutir a Reforma da Previdência, junto com os edis, e quem sabe, a prefeita Moema Gramacho também, que já foi convidada oficialmente pelo Sindicato.

Daisy Macedo

Confira a programação dos próximos dias:

23/03 (quinta-feira):
09h – Audiência Pública sobre a Reforma da Previdência na Câmara Municipal de Vereadores.
24/03 (sexta-feira):
09h – Assembleia geral extraordinária. Local a confirmar.
Pauta: avaliação da greve nacional.
25/03 (sábado):

O coordenador geral, Valdir Silva, e o professor Rafael Henrique estarão em Brasília para avaliar a greve nacional na reunião do CNE.

terça-feira, 21 de março de 2017

ASPROLF PRESENTE NA ASSEMBLEIA UNIFICADA DA APLB SINDICATO EM SALVADOR

Professor Jorge Garrida na Assembleia Unificada da APLB


Na manhã dessa terça feira, dia 21 de março, os Coordenadores do Asprolf, Cleber Nazareno e Garrido estiveram presentes na Assembleia Unificada (Municipal de Salvador e Rede Estadual).  



O Professor Garrido ao discursar, fez questão de falar das atividades realizadas pelos educadores de Lauro de Freitas, lembrando da importância de estarmos utilizando os dias de greve para dar aulões nas ruas e praças da nossa cidade.



A avaliação que foi feita do movimento foi muito positiva, logo depois da Assembleia houve uma caminhada até a Praça Municipal.

A assembleia foi muito concorrida e bastante participativa!


A luta continua na busca de derrotar essa reforma que é nefasta para todos os brasileiros.

Só a luta leva a conquista!

ASPROLF - Leva aulão para Vida Nova e participação popular marca mais um dia de luta contra a Reforma da Previdência



Morador do bairro, chamou a atenção dos vizinhos para a importância da luta contra a PEC 287 e conclamou presença em massa de Vida Nova, na Audiência Pública na CMLF, na próxima quinta-feira (23)

Hoje (21), em mais um dia de mobilização dos trabalhadores municipais de Lauro de Freitas na Greve Nacional Contra a Reforma da Previdência e Trabalhista, fizeram durante toda a manhã panfletagem no bairro de Vida Nova.

A categoria percorreu ruas e avenidas, inclusive o comércio local, esclarecendo os moradores sobre a PEC 287 que trata da Reforma da Previdência de Michel Temer; proposta que se aprovada, vai acabar com a aposentadoria do trabalhador das mais diversas frentes de trabalho.

Professor Rafael Henrique


No turno da tarde, ainda como parte das mobilizações no bairro, o ASPROLF – Sindicato dos Trabalhadores em Educação - promoveu um ‘Aulão sobre a Reforma da Previdência.’ Na sala de aula à céu aberto, o Coordenador Geral do sindicato, professor Valdir Silva, esclareceu a comunidade sobre os perigos que a PEC 287 representam na vida do trabalhador, tanto os que já estão em atividade, quanto aos muito jovens, que nem entraram ainda no mercado de trabalho. Chamada de ‘PEC da Morte” ou ‘PEC da Maldade,’ “o objetivo dessa proposta de emenda constitucional é a privatização da Previdência Social, o que tornando as regras pra aposentadoria tão difíceis, que o trabalhador será obrigado a contratar plano de previdência privado, isso se ele conseguir pagar.”



Valdir também trouxe à memória da comunidade, a PEC 55 (241), do teto dos gastos público, que determina limites de investimento para os próximos 20 anos, na saúde, segurança pública e na educação. Agora pense se com esses cortes, algum trabalhador vai mesmo conseguir chegar aos 65 anos, ou mais, para se aposentar? Não dá pra ficar calado, temos que reagir.

Presente na aula, morador do bairro, Carlos Antonio, chamou a atenção dos vizinhos para a necessidade de não ficar calado frente à mais esse abuso contra os direitos dos trabalhadores, ir à luta junto com os professores e as outras categorias também. Ele aproveitou para conclamar toda a comunidade, para que na próxima quinta-feira (23), às 9h estejam em massa na Câmara Municipal de Lauro de Freitas, na Audiência Pública que será promovida pelo ASPROLF, que junto com a população, vai tratar do assunto com os edis, e quem sabe, a prefeita Moema Gramacho também, que já foi convidada oficialmente pelo Sindicato.

A mobilização contra a PEC 287 continua amanhã (22), quando será a vez do bairro de Areia Branca, que apenas no turno matutino, será feita panfletagem e aulão sobre os perigos da Reforma da Previdência. A mudança, acordada com a categoria hoje, se deu por conta dos preparativos para a Audiência na CMLF. Confira a programação dos próximos dias:

22/03 (quarta-feira):
09h – Panfletagem e mobilização em Areia Branca com aulão à comunidade. Concentração na frente da Escola Municipal Montavão. APENAS NO TURNO MATUTINO.
23/03 (quinta-feira):
09h – Audiência Pública sobre a Reforma da Previdência na Câmara Municipal de Vereadores.
24/03 (sexta-feira):
09h – Assembleia geral extraordinária. Local a confirmar.
Pauta: avaliação da greve nacional.
No dia 25/03 (sábado):
O coordenador geral, Valdir Silva, e o professor Rafael Henrique estarão em Brasília para avaliar a greve nacional na reunião do CNE.


Daisy Macedo

Com aulão em praça pública ASPROLF esclarece comunidade de Portão do perigo da Reforma da Previdência de Michel Temer



Neste sexto dia de mobilizações contra a PEC 287, os trabalhadores municipais da educação de Lauro de Freitas, ocuparam na manhã de hoje (20), as ruas do bairro de Portão fazendo panfletagem e convidando os moradores para assistir um ‘aulão’ sobre a Reforma da Previdência. O objetivo da aula é chamar a atenção da comunidade sobre os perigos que a Reforma da Previdência representa para o trabalhador das diversas classes.

Jorge Garrido coordenador de politica sindical


Conhecida como ‘PEC da Morte,’ se aprovada, a proposta do governo ilegítimo de Michel Temer, vai acabar com a aposentadoria do trabalhador. Isso porque a Reforma da Previdência representa a privatização da previdência Social, tornando as regras para a aposentadoria ainda mais difíceis. Só para se ter uma ideia da gravidade da PEC 287, para que o trabalhador possa receber o valor integral de sua aposentadoria, ele terá que contribuir por 49 anos ininterruptos.

 

Ministrada pelo Coordenador Geral do ASPROLF – Valdir Silva, a aula, foi um alerta para a classe trabalhadora da necessidade de fazer frente à Reforma da Previdência e sair às ruas em protesto. “É preciso que não só o trabalhador da educação, mas todas as outras classes, como a saúde, comércio e outras categorias se manifestem contra essa retirada de um direito que é nosso,” conclamou.  


Professora Jane Vilela
Cleber coordenador de imprensa
Exibindo cartazes destacando os principais pontos da mudança da Previdência Social, os professores(as), corroboraram com um discurso esclarecedor e  detalharam alguns pontos da proposta, que vai tornar impossível a vida do trabalhador. Veja só, com a PEC 287 para a idade da aposentadoria, que passará a ser de 65 anos tanto para homens como para as mulheres, que já são sobrecarregadas pelas funções naturais que exercem no dia a dia. Sem esquecer que para alcançar o limite de salário da aposentadoria do INSS, o trabalhar terá que começar a contribuir para a previdência aos 16 anos de idade, e sem interrupção. O que é impossível num país que contabiliza altas taxas de desemprego. 

Professor Exaltação





As mobilizações continuam amanhã, desta vez no bairro de Vida Nova. Confira a programação desta semana:

21/03 (terça-feira):
09h – Panfletagem e mobilização em Vida Nova. Concentração na frente da Escola Municipal Vida Nova.
14h – Aulão à comunidade na frente da Escola Municipal Vida Nova.
22/03 (quarta-feira):
09h – Panfletagem e mobilização em Areia Branca. Concentração na frente da Escola Municipal Montavão.
14h – Aulão à comunidade na frente da Escola Municipal Montavão.
23/03 (quinta-feira):
09h – Audiência Pública sobre a Reforma da Previdência na Câmara Municipal de Vereadores.
Obs.: Dependendo de confirmação da Câmara.
24/03 (sexta-feira):
09h – Assembleia geral extraordinária. Local a confirmar.
Pauta: avaliação da greve nacional.

No dia 25/03 (sábado): O coordenador geral, Valdir Silva, e o professor Rafael Henrique estarão em Brasília para avaliar a greve nacional na reunião do CNE.

sexta-feira, 17 de março de 2017

ASPROLF faz história com aulão esclarecendo a comunidade de Itinga os perigos da PEC 287




Com a praça do Largo do Caranguejo lotada, o coordenador geral do Sindicato, Valdir Silva, esclareceu à comunidade, os pontos da Reforma da Previdência que são nocivas para a vida do trabalhador



Foi grande a mobilização hoje (16), segundo dia das atividades dos trabalhadores em educação de Lauro de Freitas na Greve Nacional Contra a Reforma da Previdência, que lotou as ruas do bairro de Itinga durante a manhã e a tarde desta quinta-feira.

O ato, que começou às 9h, com uma panfletagem e caminhada com carro de som, convidando os moradores do local para o ‘aulão’ da tarde. O objetivo da aula é chamar a atenção da comunidade sobre os perigos que a Reforma da Previdência, proposta pelo governo ilegítimo de Michel Temer, representam para o trabalhador. Essa proposta consiste em privatizar a previdência Social, tornando as regras para a aposentadoria ainda mais difíceis. Só para se ter uma idéia da gravidade da PEC 287, para que o trabalhador possa receber o valor integral de sua aposentadoria, ele terá que contribuir por 49 anos ininterruptos.



À tarde, atendendo ao chamado dos professores, a comunidade participou do aulão sobre a Reforma da Previdência ministrada pelo Coordenador Geral do ASPROLF – Sindicato que representa a categoria, professor Valdir Silva. Durante 50 minutos de aula, ele mostrou pontos da chamada ‘PEC da Morte,’ que “se aprovada, tornará as regras, tão difíceis de serem alcançadas, que obrigará o trabalhador a contratar planos de aposentadoria - assim como já é feito com plano de saúde – junto à instituições privadas, como os bancos, por exemplo.

Com cartazes desatando os principais pontos da mudança da Previdência Social, Valdir também chamou a atenção para a idade da aposentadoria, que passará a ser de 65 anos tanto para homens como para as mulheres, que já são sobrecarregadas pelas funções naturais que exercem no dia a dia. Sem esquecer que para alcançar o limite de salário da aposentadoria do INSS, o trabalhar terá que começar a contribuir para a previdência aos 16 anos de idade, e sem interrupção. Agora pense se isso é possível num país como o nosso, onde é cada vez maior a taxa de desemprego.



Por isso, assim como as outras entidades todas do País, o ASPROLF construiu um intenso calendário de luta contra a PEC 287, para chamar à atenção da sociedade de fazer frente contra essa proposta que significa a morte do trabalhador digna e fisicamente.

Daisy Macedo


CONFIRA A AGENDA DA GREVE PARA OS PRÓXIMOS ATOS:
17/03 (sexta-feira):
·         Livre para a categoria participar de atividades na capital.
20/03 (segunda-feira):
09h – Panfletagem e mobilização no bairro de Portão. Concentração em frente ao Colégio Estadual.
14h – Aulão à comunidade
21/03 (terça-feira):
09h – Panfletagem e mobilização em Vida Nova. Concentração na frente da Escola Municipal Vida Nova.
14h – Aulão à comunidade na frente da Escola Municipal Vida Nova.
22/03 (quarta-feira):
09h – Panfletagem e mobilização em Areia Branca. Concentração na frente da Escola Municipal Montavão.
14h – Aulão à comunidade na frente da Escola Municipal Montavão.
23/03 (quinta-feira):
09h – Audiência Pública sobre a Reforma da Previdência na Câmara Municipal de Vereadores.
Obs.: Dependendo de confirmação da Câmara.
24/03 (sexta-feira):
09h – Assembleia geral extraordinária. Local a confirmar.
Pauta: avaliação da greve nacional.

No dia 25/03 (sábado): O coordenador geral, Valdir Silva, e o professor Rafael Henrique estarão em Brasília para avaliar a greve nacional na reunião do CNE.